quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Perfil sem retoques

Escrevo para agradar. Me empenho, me esfalfo, me mato. Se eu fosse um cão, seria o mais abjeto de todos, pior que o mais execrável dos homens. Um osso, por favor.

Educação artística

Orgulha-se de ter refinado sua tristeza com a literatura e a música.

Melancolia

Tem estado estranho. É capaz de chorar ouvindo um noturno de Chopin, e até sem ouvir música nenhuma.

Números

Não tem base estatística a afirmação de que as mais sinistras novelas policiais foram escritas com a mão esquerda.

Refúgio

As palavras difíceis, aquelas que nos fogem assim que as aprendemos, vão todas se esconder no dicionário.

Segundo turno

Falando com sinceridade, a esta altura de minha velhice já nem me importa ser um bom escritor. Bastaria que os leitores assim me imaginassem.

Item dispensável

A enfermeira contratada pela família do escritor setuagenário cuida dele há uma semana e tem achado muito fácil o trabalho. A maior parte das tardes ele passa no sofá. Quando acorda dos cochilos, pede só um chá morninho, os óculos e o jornal. No primeiro dia perguntou se ela poderia ir buscar o estilo, mas, porque ela não sabia o que era, ele se resignou e não repetiu o pedido.